Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Eu, ele e a Alice

Eu, ele e a Alice

26
Out18

Sem saber até sabemos o que fazer!!!

Mamã da Alice do Martim e do Olavo

Como toda gente sabe a partir do momento que um ou mais bebés entram nas nossas vidas tudo muda. E quando digo tudo é tudo mesmo não pensei que é algum exagero, nop, não é!

 

Mas o que realmente muda e é o que vou falar hoje são as horas de almoço e jantar. Admito que pensei que nunca na vida voltaria a ter um jantar a mesa, bah não vou dizer sossegados, mas minimamente normais!

 

A Alice foi muito difícil iniciar a sopa! Quero desde já esclarecer que nesta aventura da introdução alimentar, em nenhum momento minha filha passou fome!

 

Como aconselhado na altura aos 4 meses comecei a dar sopa passada a Alice, até estremeço só de pensar, foi muito mau!

Não havia maneira de ela aceitar a sopa, cada colher que colocava na boca, cada colher que cuspia, não havia maneira de engolir a sopa e na creche foi a mesma coisa, nem eu nem elas sabíamos mais que fazer. Ela chorava, eu insistia, ela estava inervada e eu também e meu marido também, não sabíamos que fazer ao fim de quase 1hora desistíamos e dávamos um biberon de leite. Já devem saber o que nos passa pela cabeça não? Como é possível não conseguir dar de comer a minha própria filha? Que mãe neste mundo não é capaz de tal coisa? Paranoias a parte, um dia ao fazer a sopa lembrei-me de não passar os legumes e de os meter assim inteiros a frente dela simplesmente para ver a reação dela e aí meus amigos, como qualquer criança de 4 meses a curiosidade venceu e ela la pegou na batatinha e colocou na boca e gostou e foi sempre a ir buscar mais batata e cenoura. Pensei para mim, ok resultou ela assim come, mas não deveria ser assim. Achava eu!

 

Na semana seguinte fomos ao pediatra e lá comecei a falar sobre minha incapacidade de conseguir com que minha filha comesse sopa e do como comecei a não passar os legumes e piu piu pardais ninho….. quando parei de me lamentar, o pediatra virou-se para mim e disse-me, minha senhora, sua filha esta a comer sopa, só não a come passada, mas esta a comer! E ai ouvi pela 1º vez estas palavras, você esta a usar o método BLW, explicou-me o que era e acreditem que ai senti-me muito mais aliviada. Antes de sair de lá e disse me algo que me fez sentir bem enquanto mãe, disse que não deveria me sentir má mãe por não conseguir dar sopa passada a minha filha, mas que deveria me sentir uma excelente mãe por não desistir e ter me lembrado de uma maneira de dar os legumes não passados a minha cria e que era nisso que me devia focar.

 

Nessa noite fui pesquisar sobre o método BLW (baby-led weaning) que em português é “Desmame conduzido pelo bebé”.

Que é simplesmente dar liberdade ao bebé de comer pelas suas próprias mãos a quantidade que o deixa satisfeito, cozem legumes e fruta em pedaços suficientemente grande para que o bebé possa agarrar, mas que não se sufoque.

 

BLW ou não só sei que consegui fazer que que a Alice começasse a comer, cada criança tem seu ritmo e Shame on me, pois eu hoje arrependo me profundamente de ter insistido tanto para ela comer hoje não faria isso e foi exatamente isso que fiz com os rapazes.

 

Perguntam vocês como foi com eles? O pesadelo a dobrar? Não, acreditem com eles foi muito mais fácil, primeiro comecei sem nenhuma expectativa, pois a Alice tinha –ma deitado toda ao lixo. Já do tempo da Alice para os gémeos houve diferenças, enquanto da Alice disseram me para começar aos 4 meses, neles recomendaram aos 6 meses, somente em dois anos as mudanças que ocorrem. E só para ser diferente com eles comecei aos 5 meses, simplesmente por que vi que o Martim e o Olavo estavam preparado para isso e já pediam. E meninas, foi espetacular, comeram bem, a primeira vez que dei os dois comeram bem e foi bom, adorei aquela sensação de chegar e vencer!

 

E hoje em dia já comemos os 5 a mesa, achei que aos 16 meses dos rapazes era altura ideal de comermos todos juntos a mesma e corre bem, claro que a dias que a miúda faz birra ou eles, mas maioria dos dias corre bem, auxiliamos os rapazes que vão se desenrascando ou com as mãozinhas ou com a colher, mas já voltei a adorar a hora de jantar os 5 a mesa a falar sobre nosso dia, principalmente eu o Pedro e a Alice, mas os rapazes participam na conversa a maneira deles.

 

É bom, dá a sensação de que afinal até sabemos o que estamos a fazer!

BLW-introdução-alimentar-10-865x724.jpg

 

 

Mamã da Alice do Martime e do Olavo

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D